Viver

Vai valer a pena “ter A Porta aberta”

28 mai 2017 00:00

"A Porta" está de regresso para a 3.ª edição. Este ano, com mais um dia. De 30 de Maio a 4 de Junho, Leiria recebe um festival multidisciplinar, com actividades para todas as idades.

vai-valer-a-pena-ter-a-porta-aberta-6512

“Todos os cidadãos têm a chave para a abrir a porta.” Uma porta que “é para todos”. A Portapaletes está já construída junto ao edifício Paço, pronta para receber seis dias dedicados “à arte, à cultura, ao entretenimento, ao lazer, ao comércio e à gastronomia”.

São 878 paletes, 3350 parafusos e aproximadamente 21 mil quilos – a porta gigante foi criada em parceria com a Sistema 4, que celebra 25 anos. “É o símbolo de uma Leiria de portas abertas”, afirma Gui Garrido, um dos responsáveis pela organização do festival A Porta que começa na próxima terça-feira, dia 30 de Maio, e decorre até 4 de Junho, domingo.

Nesta terceira edição, uma das novidades é o concerto de Sean Riley & The Slowriders no espaço exterior da Villa Portela.

“Havia vontade de fazer algo diferente. De abrir as portas para uma casa, um jardim que vai ser a casa da cultura da cidade de Leiria”, afirma Gui Garrido.“A Villa Portela é uma casa de sonho, o castelo fantasia com que toda a gente sonhou, e muito poucas pessoas entraram dentro daquele jardim.”

A este desejo juntou-se o de trazer à cidade do Lis “uma banda mítica a nível nacional, que tem também uma forte ligação a Leiria”: alguns membros da banda são da região. Os Sean Riley & The Slowriders comemoram este ano dez anos de carreira e apresentam, naquele concerto, o mais recente álbum, um homónimo editado em 2016.

Além deste, são 23 os concertos que fazem parte d'A Porta: Them Flying Monkey, Stone Dead e The Twist Connection são apenas algumas das bandas que vai poder ouvir. Quatro destes 23 concertos estão inseridos nos jantares temáticos que decorrem nos dois primeiros dias do festival, esclarece o responsável.

No dia 30 de Maio, terça-feira, decorrem um jantar cubano e um francês e na quarta-feira, dia 31, um jantar grego e um maltês, todos esgotados.

Mas nem só de concertos se faz A Porta. No dia 3 de Junho, sábado, as actividades centram-se na rua Direita: oficinas, performances, exposições de artes visuais e feiras.

O Atlas Hostel, o Centro Cívico, a Chapelaria Liz e o Espaço Eça são apenas alguns dos espaços que abrem as suas portas neste dia. Este ano, a Casa Plástica recebe cerca de 30 artistas e estará aberta até dia 10 de Junho, sábado, das 15 às 20 horas.

“Não fazia sentido o gasto de energia e a generosidade dos artistas para a exposição só estar aberta seis horas”, refere Gui Garrido. O sexto e último dia do festival A Porta decorre no Parque do Avião e será “um domingo em família, em comunhão com o Rio Lis”, diz o responsável.

Mapa d'A Porta (Clique para ver com maior dimensão)

Leia mais na edição impressa ou torne-se assinante para aceder à versão digital integral deste artigo.

#SEMFOMENAREGIÃO

Junte-se a uma grande causa

Ao assinar o Jornal de Leiria durante o mês de Maio, está a contribuir com 10€ para o combate à fome na nossa região.

Uma iniciativa com o apoio Makro

Saiba mais aqui.