Login
Esqueci a password

Se esqueceu o seu Username ou a sua Password envie-nos o seu e-mail e receberá os seus dados de acesso por e-mail.

Se não sabe que endereço de e-mail utilizou no seu registo, por favor contacte os nossos serviços através do nosso e-mail assinantes@jornaldeleiria.pt.

Para procurar palavras exactas utilize aspas. Ex: "Castelo de Leiria" "Jornal de Leiria"
Área restrita

A secção que pretende aceder é restrita a assinantes do Jornal de Leiria. Para se tornar assinante vá à área Assinatura.

Se já for assinante da edição impressa, pode registar-se na edição online, sem custos adicionais.

Caso já tenha um registo, efectue login.

Presidente do infantário Superninho foi afastada da direcção em noite de tensão
Ricardo Graça

Sociedade

16 Março 2017

Presidente do infantário Superninho foi afastada da direcção em noite de tensão

A mulher e o marido foram suspensos dos cargos que detinham com oito votos a favor, um contra e uma abstenção.

Os cooperantes reunidos em Assembleia Geral Extraordinária realizada no domingo votaram por maioria a saída de Elsa Leitão da direcção do Conselho de Administração (CA) da Supercoop – Cooperativa de Solidariedade Social, que gere a creche e jardim de infância Superninho, em Parceiros.

A mulher e o marido foram suspensos dos cargos que detinham com oito votos a favor, um contra e uma abstenção, na reunião que durou cerca de três horas e foi marcada por tensão, gritos e ameaças, levando ainda a PSP ao local.

No final, a pressão vivida pelas funcionárias que fazem parte da cooperativa era visível no rosto de cada uma. Várias não contiveram as lágrimas, que deixaram correr como uma descompressão do 'braço de ferro' que foi travado durante a assembleia.

Cá fora esperavam-nas mais de duas dezenas de pais, que desde o início queriam a saída de Elsa Leitão e confortaram as educadores e funcionárias com aplausos, abraços e palavras de incentivo: “Foram umas heroínas”, disseram alguns.

Um dos pontos da assembleia era a “apreciação, discussão e votação de proposta a autorizar a cooperativa a “demandar” estas duas pessoas “por actos praticados no exercício das suas funções que prejudicaram de forma grave a cooperativa”.

Foi também apreciada a “suspensão imediata” dos dois, com “instauração de processo destinado à eventual destituição da presidente” e do “vogal”, assim como a instauração de “procedimentos disciplinares”.

No final, os pais aplaudiram a saída da responsável, referindo que só assim os filhos vão continuar no infantário, uma vez que mantêm a confiança total nas funcionárias.

Leia mais na edição impressa ou torne-se assinante para aceder à versão digital integral deste artigo.

Elisabete Cruz
Redacção Elisabete Cruz elisabete.cruz@jornaldeleiria.pt






Os comentários são da exclusiva responsabilidade do utilizador