Sociedade

Pedro Dias terá disparado sobre GNR para encobrir furto de Leiria

3 jan 2017 00:00

Crimes de Aguiar da Beira estarão relacionados com o furto a um armazém de ração de gado, em Leiria, há seis anos. Um processo que acabou arquivado por falta de provas

pedro-dias-tera-disparado-sobre-gnr-para-encobrir-furto-de-leiria-5678
Jacinto Silva Duro

Pedro Dias terá cometido os crimes de Aguiar da Beira para encobrir um outro crime, o furto a um armazém de ração para gado, que terá cometido em 2010, em Leiria. Estas serão as suspeitas da Polícia Judiciária, segundo noticia o jornal i.

A arma que tinha em sua posse, em Outubro de 2016, iria desmascará-lo, diz o jornal, que refere ainda algumas cartas deixadas pelo fugitivo à família que o apontam como o autor do crime.

Segundo o i, durante um furto a um armazém de ração para gado em Leiria há seis anos, uma pessoa apercebe-se do que se está a passar e chama a GNR. Ouvida na altura, a testemunha descreveu o alegado assaltante: alto, possante. Mas o processo foi arquivado por falta de provas.  

Quando as autoridades, nesse dia, chegaram ao local, foram recebidas a chumbo. O homem disparou indiscriminadamente oito tiros.  

Os invólucros recolhidos na altura estavam armazenados na base de dados da polícia científica. Quando chegou, para análise balística, o projéctil que no dia 11 de Outubro de 2016 matou o militar Carlos Caetano, chegou-se à conclusão de que eram iguais à mesma arma utilizada para atacar os elementos da GNR alertada do assalto, revela ainda o jornal i.

A polícia acredita agora que, naquele dia, Pedro Dias iniciou as hostilidades para tentar encobrir os crimes de Leiria cometidos anteriormente e esconder a arma usada para assaltar o estabelecimento e tentar balear elementos da GNR. 

Segundo o mesmo jornal, o processo de Leiria será agora reaberto e apensado à investigação principal – Pedro Dias pode ser acusado de tentativa de homicídio dos agentes da autoridade que o tentaram deter durante o assalto.  

Após o tiroteio em Leiria, Pedro Dias colocou-se em fuga numa pick-up Toyota Ailux, a mesma carrinha que, após os crimes de Aguiar da Beira, pediu emprestada à ex-namorada, e na qual iniciou a fuga – que culminou na sua entrega, após uma entrevista concedida à RTP.