Sociedade

No domingo, saia de casa e vá ver os aviões a Monte Real (com galeria)

13 set 2018 00:00

No domingo, dia 16, entre as 10 e as 17 horas, todos os caminhos vão dar à Base Aérea n.º 5, em Monte Real.

Fotografia: Força Aérea Portuguesa
Fotografia: Força Aérea Portuguesa
Fotografia: Força Aérea Portuguesa
Fotografia: Força Aérea Portuguesa
Fotografia: Força Aérea Portuguesa
Fotografia: Força Aérea Portuguesa
Fotografia: Força Aérea Portuguesa
Fotografia: Força Aérea Portuguesa
Fotografia: Força Aérea Portuguesa
Fotografia: Força Aérea Portuguesa
Fotografia: Força Aérea Portuguesa
Fotografia: Força Aérea Portuguesa
Fotografia: Força Aérea Portuguesa
Força Aérea Portuguesa
Força Aérea Portuguesa
Força Aérea Portuguesa
Força Aérea Portuguesa
Força Aérea Portuguesa
Força Aérea Portuguesa
Fotografia: Força Aérea Portuguesa
Fotografia: Força Aérea Portuguesa
Fotografia: Força Aérea Portuguesa
Fotografia: Força Aérea Portuguesa
Fotografia: Força Aérea Portuguesa
Fotografia: Força Aérea Portuguesa
Fotografia: Força Aérea Portuguesa
Fotografia: Força Aérea Portuguesa
Fotografia: Força Aérea Portuguesa
Jacinto Silva Duro

Num Dia Aberto, a instalação militar dá a conhecer ao público a actividade dos militares e civis que ali trabalham todos dos dias e o contributo da Força Aérea Portuguesa para a sociedade civil.

Além de demonstrações das capacidades dos aviões de intercepção F16, sediados em Monte Real, haverá baptismos de voo numa aeronave C-295, acções para spotters – hoje, quinta-feira, dia 13, termina o prazo para inscrição -, um concerto com o “major Alvega”, o conhecido actor Ricardo Carriço, que também estará disponível numa sessão de autógrafos, uma conversa motivacional com a única portuguesa piloto de acrobacia aérea, Diana Gomes da Silva, e ainda demonstrações cinotécnicas com unidades k9. 

Ao longo do dia, haverá voos virtuais com óculos vr (360º) à volta da BA5, uma mini-recruta, insufláveis, visitas ao cockpit dos F-16, além de exposições estáticas com alguns dos modelos dos aviões que fizeram a história da Força Aérea Portuguesa e da Base de Monte Real, entre eles o A7P, T38, T33, F86 e Fiat G91.

A organização aconselha o uso de protecções para os ouvidos, devido ao ruído provocado pelas aeronaves. “Vamos ter 18 F16 a ‘turbinar’ na pista, que, depois, irão descolar e fazer algumas passagens por cima da base, entre as 16:15 e as 17 horas”, explica o capitão Licínio Patrício, da BA5.

"Os visitantes não podem trazer cães, não podem trazer drones, não podem trazer armas... pode parecer estranho estar a aconselhar estas coisas, mas há pessoas que nos ligam a perguntar se podem trazer o cão para a base. Os drones também são completamente proibidos pois colocam em risco os aviões que vão estar a operar por cima da pista", sublinha o militar.

No domingo, haverá cinco estacionamentos fora da base, onde os visitantes devem estacionar as suas viaturas e depois esperar por um autocarro que fará um percurso de ida e volta até à zona de visita. O tempo médio de espera será de 30 minutos.

Os locais para onde os visitante devem ir serão junto ao portão Norte da Base (Carvide), e, na vila, em frente ao Palace Hotel e na Rua de Santa Clara (há estacionamento). A sul, no Campo de Futebol do Pilado e na antiga discoteca Império Romano.

Como ganhar lugar no baptismo de voo
Para participar no sorteio que permite fazer um baptismo de voo a bordo de um C-295, a BA5 colocou um desafio aos visitantes.

A base dá o seu apoio a instituições de cariz solidário dentro da sua área de proximidade, neste caso, a APAMG e a ADAV Leiria, e solicita aos interessados que dêem um contributo simbólico, que ajude a causa das associações: ração para animais desparasitantes, casotas e produtos de limpeza, naso da APAMG, e leite, bens de higiene para bebé, artigos para grávidas, material escolar ou jogos didácticos.
 

700 pessoas
Na Base Aérea n.º5, de Monte Real, trabalham, todos os dias quase 700 pessoas, entre pessoal militar e civil

23 aviões F16
Na pista, que faz parte do dispositivo NATO, há 23 aeronaves F16 MLU, distribuídas por duas esquadras de voo, a 201 Falcões - lema: "Guerra ou paz, tanto nos faz" - e a 301 Jaguares - lema: "De nada a forte gente se temia". Operam com um tempo de prontidão de menos de 15 minutos, desde que soa o alerta até estarem no ar

2175 km/h
ou Mach 2.05 é a velocidade máxima de um avião F16 a voar a 12190 metros. O seu raio de acção, com depósitos externos, é de 4215 km

 

Após fazê-lo, os interessados receberão uma senha que, mediante sorteio, dará acesso a um dos 350 lugares para um voo num avião militar. “A FAP também irá fazer baptismos de voo a utentes de instituições de apoio à pessoa com deficiência”, adianta o capitão Patrício. 

Ao longo do dia, os visitantes terão ainda acesso à zona de streetfood, a uma exposição de tecnologias aeronáuticas, como a panóplia de armamento do F-16, e poderão ver como operam as superfícies de voo destas aeronaves e a actuação do seu canhão Vulcan, entre muitas outras actividades.

Um dos momentos altos do dia, além das acrobacias aéreas dos aviões-caça da

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.

Se efectivar a sua assinatura durante o mês de Maio, 10€ reverterão para o combate à fome na nossa região.

#SEMFOMENAREGIÃO

Junte-se a uma grande causa

Ao assinar o Jornal de Leiria durante o mês de Maio, está a contribuir com 10€ para o combate à fome na nossa região.

Uma iniciativa com o apoio Makro

Saiba mais aqui.