Economia

Empresa de Pombal tem a maior mina de lítio da Europa

14 jun 2018 00:00

Portugal é o quinto maior produtor mundial de lítio, elemento base para as baterias eléctricas. A maior mina da Europa é explorada por uma empresa do Grupo Mota.

empresa-de-pombal-tem-a-maior-mina-de-litio-da-europa-8802
Maria Anabela Silva

O último relatório do Departamento Geológico dos EUA, citado recentemente pelo semanário Expresso, coloca Portugal como o quinto maior produtor mundial de lítio - matéria-prima base usada no fabrico de baterias eléctricas –, onde se destaca uma empresa com ligações à região: a Felmina.

Esta unidade integra o Grupo Mota, de Pombal, detido pelo empresário Carlos Mota e pela gestora de fundos Oxy Capital, e é uma das principais operadoras na área do lítio em Portugal, explorando, há vários anos, a maior mina da Europa. ​

Localizada em Gonçalo, no distrito da Guarda, essa jazida é responsável por uma parte significativa da produção nacional de lítio, que, à semelhança do que acontece com outras exploração no País, é praticamente todo encaminhado para a indústria cerâmica, sendo usado para reduzir o consumo energético.

“Neste sector, o lítio dá estabilidade à base do produto e para diminuir o ponto de fusão das pastas, permitindo poupanças energéticas”, explica Carlos Almeida, geólogo que coordena o Grupo de Trabalho dos Recursos Minerais da Associação Portuguesa dos Geólogos.

Mas o crescente interesse pelo lítio em Portugal, que se encontra concentrado nos distritos da Guarda, Viseu, Vila Real e Viana do Castelo, prende-se com procura mundial dessa matéria-prima, sobretudo pela indústria automóvel que está, cada vez mais, a apostar no fabrico de carros eléctricos.

Há já estudos que estimam que, na próxima década, o número desses automóveis passará dos actuais dois milhões para “20 milhões em 2013”, o que poderá exigir “seis vezes mais carbonato de lítio do que o actualmente utilizado no mercado mundial”, sublinha um artigo publicado recentemente pelo Expresso

“Haverá uma procura exponencial e Portugal tem um grande potencial. Hoje, temos um conjunto enorme de pequenas minas que poderão vir a ser ricas minas”, antevê Carlos Almeida, reconhecendo que, para já, o País não dispõe de “infra-estruturas” que permitam trat

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.

Se efectivar a sua assinatura durante o mês de Maio, 10€ reverterão para o combate à fome na nossa região.