Sociedade

Dois terços do Pinhal de Leiria vão rearborizar de forma natural

22 mar 2018 00:00

O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas tem elaborado vários projectos para a reflorestação do Pinhal de Leiria. No entanto, os técnicos admitem que dois terços da mata vão rearborizar de forma natural.

dois-tercos-do-pinhal-de-leiria-vao-rearborizar-de-forma-natural-8372

Fez este mês cinco meses desde que as chamas consumiram mais de 80% do Pinhal de Leiria. Desde então têm sido várias as acções de reflorestação por parte de privados para ajudar a renascer das cinzas um dos maiores pulmões do País.

Todas as plantações que surgem da solidariedade e voluntariado de empresas e população têm sido realizadas em conjunto com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), que elabora os projectos e prepara o terreno para a arborização.

No entanto, segundo Octávio Ferreira, engenheiro silvicultor do ICNF, cerca de dois terços da área ardida do Pinhal de Leiria vão rearborizar sem intervenção humana. "A área ardida é muito extensa. Com estas iniciativas é possível arborizar algumas centenas de hectares, mas ficamos muito longe da área total que é preciso rearborizar. De resto, da área que ardeu, cerca de dois terços, vai rearborizar naturalmente", garantiu Octávio Ferreira, à margem de uma iniciativa de reflorestação de uma empresa de aluguer de automóveis, que mobilizou cerca de 100 colaboradores para plantarem 500 árvores, em Vieira de Leiria, no concelho da Marinha Grande.

Segundo o engenheiro, "arderam pinhais já com idade, que tinham pinha e produziam semente e, como tal, a natureza vai-se encarregar de fazer a rearborização". No entanto, existem "alguns milhares de hectares em que é necessário plantar pinheiros” e além das iniciativas particulares, "terá de ser o ICNF, [através] o Ministério da Agricultura, a suportar a maior parte dessa mesma rearborização", acrescentou.

Também Viriato Garcez, director do Departamento do ICNF do Centro, destacou a importância da regeneração natural da mata, que é “completamente diferente”, já que nascerão “plantas muito melhor do que outras que venham de outro lado qualquer”.

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.

Já é assinante? Inicie aqui
SAIBA COMO
EVENTOS