Sociedade

Caranguejos podem ter dado os primeiros passos em Porto de Mós

8 dez 2018 00:00

Estudo científico à Praia Jurássica revela novas espécies e identifica mais de 100 exemplares de fósseis.

caranguejos-podem-ter-dado-os-primeiros-passos-em-porto-de-mos-9556
Maria Anabela Silva

Os caranguejos podem ter dados os seus primeiros passos na região. É nesse sentido que aponta a investigação que tem vindo a ser feita ao Sítio Paleontológico do Cabeço da Ladeira, a Praia Jurássica de São Bento, em Porto de Mós, cuja descoberta foi tornada pública há cinco anos.

Além da identificação de “mais de 100 exemplares” de equinodermes (estrelas-do-mar, ouriços-do-mar e crinóides), os trabalhos já permitiram determinar duas formas de comportamento novos para a ciência:Krinodromos bentu, para a locomoção de um lírio-do-mar, e Laterigradus lusitanica, que mostra a “típica locomoção de caranguejos, que “ainda não eram conhecidos no Jurássico”. Uma descoberta que, segundo o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), “pode indicar que este grupo de animais terá dado os seus primeiros passos nesta região”.

Mas há outros resultados “promissores” trazidos pela investigação ao sítio do Cabeço da Ladeira, como “os primeiros registos para esta idade, no registo fóssil de Portugal, de algumas espécies de moluscos bivalves”.

Em aberto, está também a descoberta de uma nova espécie de ouriço-do-mar, “do género Heterocidaris”, “ainda a ser confirmada”, informa o ICNF, que tutela aquele sítio e que se refere ao Cabeço da Ladeira como uma “jazida notável pela diversidade e qualidade da preservação dos fósseis”.

Segundo o ICNF, até ao momento, a investigação já contabiliza “15 espécies de equinodermes, 19 de moluscos e 18 de iconoespécies de marcas de comportamento animal, entre outros grupos representados”.

Também o registo icnológico - traços e rastros do comportamento dos organismos - “é muito rico”, com “numerosos” vestígios de “trilhos de locomoção, pistas de alimentação, galerias de habitação e nutrição, entre outros, fornecendo pistas para o conhecimento de todo o paleo-ecossistema que ali se estabeleceu (…) há cerca de 169 Milhões de anos”.

A descoberta da Praia Jurássica de Porto de Mós foi tornada pública em Dezembro de 2013, durante uma sessão da Assembleia Municipal, por António José Teixeira, então deputado do PS.

No entanto, o achado tinha ocorrido uma década antes, num momento em que no local estava ainda concessionado como pedreira, quando foram encontrados os primeiros fósseis durante uma visita de rotina de técnicos do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros.

 

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.

Já é assinante? Inicie aqui
SAIBA COMO