Desporto

'Pão de Kilo' é a ultramaratona de BTT que este sábado invade a região

19 mai 2022 09:30

Esta é a primeira edição da prova, com percursos de 120 e 180 quilómetros, é organizada pelo Centro Desportivo e Recreativo da Torre

pao-de-kilo-e-a-ultramaratona-de-btt-que-este-sabado-invade-a-regiao
José Vieira, director-técnico, prevê “outras temáticas” para futuras edições da prova
DR
Pedro Dantas Fernandes com PCG

O Parque Natural da Serra de Aire e Candeeiros, a ecopista de Porto de Mós, as Salinhas de Rio Maior, o Castelo de Ourém e o Mosteiro da Batalha são alguns dos locais emblemáticos que vão ser palco, este sábado, para a primeira edição da ultramaratona de Bicicleta Todo-o-Terreno (BTT) 'Pão de Kilo'. 

A prova tem a partida marcada para as 6:30 horas junto às instalações do Centro Desportivo e Recreativo da Torre, associação que organiza a iniciativa com o objectivo de "divulgar a região".

Dividindo-se em três categorias, BTT, bicicletas eléctricas e bicicletas de gravel, a prova conta com dois percursos: um de 180 quilómetros com 2.800 metros de acumulado e outro com 120 quilómetros com 1.550 metros de acumulado.

Já está confirmada a participação de 150 atletas, tendo já sido feitos pedidos de participação internacional.

Os organizadores prometem “uma disputa renhida, numa prova de superação em que os atletas combinam a velocidade, a gestão de esforço e a mecânica”, salientando que “atingir a meta constitui por si só uma vitória”.

Segundo o director-técnico, a 'Pão de Kilo' nasce do desejo de trazer à região um “conceito de prova que não existia na zona”. Com os percursos definidos, José Vieira espera transformar a prova em “quase um roteiro turístico". No fundo, sublinha, "um elo de ligação entre os diferentes municípios" por onde as provas passam.  

O nome, 'Pão de Kilo', explica, "simboliza algo trabalhoso, provém da cultura tradicional, sendo usado há muitos anos pelos ciclistas como alcunha para o percurso de 180 quilómetros".

Para a prova de 120 quilómetros, ficou relegada a designação 'Papo Seco'. Contudo, isto não significa que esta prova seja mais fácil. “São dois tipos de percurso completamente diferentes”, adverte José Vieira numa iniciativa onde "a aposta é na qualidade".

“Nesta primeira edição não privilegiamos ter uma quantidade muito grande de atletas”, assume, confiante que no futuro a prova “tenha continuidade, com a mesma lógica, mas com outras temáticas”.