Prosseguem os roubos de materiais nas Salinas da Junqueira (Leiria)

Sociedade

20 Fevereiro 2017

Prosseguem os roubos de materiais nas Salinas da Junqueira (Leiria)

Veja as imagens da destruição e vandalismo neste património valioso do concelho de Leiria e freguesia de Monte Redondo

Ecossistema raro e precioso, as Salinas da Junqueira, em Monte Redondo, Leiria, estiveram em destaque no Centro de Interpretação Ambiental (CIA) até Fevereiro de 2016, com a exposição Segredos do Património Natural e Cultural do Concelho de Leiria - As Salinas da Junqueira.

Contudo, quem se atrever a visitar a pé este ex libris desta freguesia do norte litoral do concelho de Leiria vai deparar com um cenário dantesco de destruição e descuido.

Os fundos comunitários utilizados para a criação de passadiços em madeira tratada, torres de observação da fauna e, em especial das aves, e mesmo as indicações para percursos pedestres estão praticamente todos destruídos.

Por um lado, percebe-se que se trata de incúria da autarquia local que não tem tido o cuidado de preservar e de divulgar, em especial entre os habitantes locais, a importância das antigas salinas, que tanta fome mataram e são um local especial e de identidade da freguesia, e, por outro, devido à acção de gente mal intencionada, talvez habitantes locais, talvez de outras paragens, que, pela calada da noite, furta passadiços e outros elementos arquitectónicos do percurso de interpretação desta importante zona húmida de nidificação e importância cinegética do concelho de Leiria. Quem sabe quem terá sido? Ninguém viu ou vê nada.

O JORNAL DE LEIRIA tentou, como se pode ver pelas fotografias, percorrer o percurso pedestre que dá acesso às salinas e que parte e chega ao centro da vila mas, na verdade, sem um sistema moderno de GPS é uma tarefa quase impossível, dada a ausêncfia de sinalização. 

Além disso, há partes dos passadiços que parecem ter sido arrancadas para embelezarem jardins e propriedades privadas, e outras foram mesmo queimadas, aparentemente por pura diversão.

Pouco resta dos painéis de informação e se não tivéssemos acesso à Internet móvel, jamais saberíamos o que estaríamos a ver nas salinas da Junqueira. 

É lamentável que parte da população trate assim o seu património identitário e histórico, que faz parte da vida das suas famílias desde há décadas, mas, por outro lado, como grande parte do dinheiro para a construção de infra-estruturas, como a do centro de interpretação das salinas, veio da União Europeia e dada a má relação que muita gente, mais umbiguista, tem com o dinheiro que, aparentemente cai, miraculosamente, do céu para estes projectos, pode-se dizer, sem graves problemas de consciência ou sequer de ofensa, que há pessoas pobres de espírito, de vistas curtas, cleptomaníacas, egoístas, e extremamemente mal agradecidas, na zona em questão.

De salientar a acção da Junta de Freguesia local que, não obstante as dificuldades, tem tentando manter o espaço visitável, com a manutenção de caminhos abertos nas zonas húmidas das salinas, embora falte uma sinalização decente de um percurso a seguir, com início e fim no centro da vila, por exemplo.

As Salinas da Junqueira, embora sejam praticamente desconhecidas da maioria da população do município, são um valioso espaço natural do concelho, que tem dado um contributo vital para o desenvolvimento e funcionamento do vale do Lis, tendo mesmo havido um projecto denominado Sal – Espaço Atlântico, A Paisagem e a Flora da Junqueira, bem como Aves, Anfíbios e Mamíferos, que deram a conhecer a muitas crianças aquela zona.

 

 As Salinas da Junqueira
Segundo a Câmara Municipal de Leiria, as salinas da Junqueira possuem uma área de 4,6 hectares, no troço inferior do vale do rio Lis, entre as povoações de Sesmarias e Carreira, na freguesia de Monte Redondo.

São parte de uma área mais vasta de uma turfeira criada pelos monges cistercienses, há mais de meio milénio, quando ali desenvolveram esforços de ocupação do território nacional conquistado aos mouros e de produção agrícola.

Trata-se de um ecossistema raro e precioso, dado ser uma antiga salina de interior e uma turfeira de baixa altitude, em clima de transição entre atlântico temperado e mediterrânico.

As Salinas da Junqueira são um bem classificado, em sede do Plano Director Municipal, como Património Paisagístico Municipal, estando prevista, pela Câmara Municipal de Leiria, a sua potenciação e valorização em termos paisagísticos, biofísico, socioculturais, económicos e turísticos. Pretende-se também que seja vocacionada para observação de ave e outras actividades recreativas e educativas.

Possui elevado valor regional, uma vez que presta um conjunto significativo de serviços ambientais essenciais à sustentabilidade das actividades humanas (nas quais se destaca a agrícola) no norte dos concelhos de Leiria e Marinha Grande, designadamente controlo de poluição, controlo de cheias e secas, de pragas e doenças e de potenciação da biodiversidade.

Possui valor internacional, designadamente pela ocorrência potencial de dois habitats europeus prioritários, por estar inserida na rota das aves migratórias do arco atlântico (África Ocidental - Norte da Europa) e na Rota do Sal Atlântico, projecto internacional financiado pelo Programa INTERREG IIIB implementado em parceria com Espanha, França e, Inglaterra.

Jacinto Silva Duro
Redacção Jacinto Silva Duro jacinto.duro@jornaldeleiria.pt
© Jorlis - Todos os direitos reservados